Seja Bem-vindo! Hoje é Quinta-feira, 17 de Abril de 2014
Tempo nao cadastrado para o dia de hoje ainda.

Atualizada em 15/11/2013 às 15:11:47

Por: Josélio Araújo

Agricultor é preso com 24 quilos de maconha e acusado de agredir pai e mãe em Barbalha.

A droga estava enterrada em sacos plásticos e covas distintas, cada uma com 12 quilos prensados.

Por volta das 09h desta quinta-feira (14), o agricultor Osvaldo José Alves, de 45 anos, apelidado por Galego, residente no Distrito de Estrela, em Barbalha, CE, foi preso com 24 quilos de maconha em mais uma operação de combate ao tráfico de drogas realizadas por Policiais da 2ª Cia Militar de Barbalha. A droga estava enterrada em sacos plásticos e covas distintas, cada uma com 12 Kg prensados sob um pé de caju distante cerca de 800 metros de sua residência para as covas.

Osvaldo José Alves, o “Galego” mora no chamado Corredor dos Alves, 150, no Distrito de Estrela. Segundo o Coronel Wellington, Comandante do 2º BPM, o trabalho do Serviço de Inteligência e militares de Crato e Juazeiro já se desenvolvia há 20 dias. Nas últimas 24 horas foi preciso montar campana para que tudo desse certo e acredita que o mesmo seja responsável pelo transporte e guarda das drogas.

A polícia quer saber quem são os donos e tudo indica que a maconha ia para o Pernambuco. Osvaldo já esteve preso durante nove meses por crime de violência doméstica. É que, em março de 2011, o mesmo foi denunciado por maus tratos contra seus pais José Antônio Alves, na época com 81, e Alice Maria Alves, de 86 anos. Ele terminou preso no dia seguinte quando saía do Banco do Brasil com o dinheiro das aposentadorias deixando seus pais em condições subumanas. Segundo denúncias, Osvaldo se apossava de mais de 90% dos benefícios em detrimento da qualidade de vida dos pais. No dia em que a polícia esteve na casa dos idosos, Dona Alice falou que tinha passado a noite na chuva e, na maioria das vezes, os vizinhos levavam alimentos para os dois quando ela não tinha condições de cozinhar.

A época, as aposentadorias rendiam R$ 1.080,00 e Dona Alice falou que recebia R$ 38,00 e seu esposo ficava com algo entre R$ 50,00 e R$ 100,00 para pagar suas contas. A polícia notou enorme diferença nos padrões de vida dentro da mesma casa. Além disso, Osvaldo saía para as farras e abandonava os pais. Quando a polícia chegou ao imóvel encontrou os dois sem roupas dentro de casa e ambos dormiam em redes de campana dentro de um quarto sujo e escuro, enquanto Osvaldo possuía duas camas com colchões, TV e quatro redes novas e boas. Pior que isso, testemunhas denunciaram violência física e psicológica contra os idosos. Em seu depoimento ao Delegado Marcos Antônio dos Santos, Osvaldo disse que era viciado em drogas. Todavia, negou maltratar seus genitores alegando que as condições são por conta das idades avançadas. Sobre o dinheiro das aposentadorias, não escondeu que comprava drogas e bebidas com parte do que recebia.

Além disso, contou ao delegado ter feito empréstimos nos valores de R$ 2 mil e mil reais, respectivamente, em que a maior parcela gastou com drogas, mas comprou mantimentos para casa. Disse ainda que ele próprio fazia a comida e dava os remédios conforme as recomendações médicas. Ele já respondeu a processo por ter agredido a uma cunhada sua mesmo negando ter ameaçado parentes e muito menos agredido seus pais. Mais à frente, no depoimento prestado à época, Osvaldo admitiu ter empurrado seu pai certa vez.

O agricultor disse ainda que os dois recebiam atendimento por meio de uma agente de saúde da área do Distrito de Estrela. Osvaldo foi informado pelo delegado Marcos Antônio que os cartões dos benefícios haviam cancelados e o órgão ía destinar a tarefa para outro procurador.

Neste momento existem (3) Comentários:

jfreitas | 19/11/2013 - às 16:01:37
Triste isso viu, Esse rapaz era um cara do bem, estudei com ele e ver essas noticias sobre ele é triste de mais. Mas cada um segue o caminho que acha ser melhor, graças a Deus trilhei o meu e tento trilhar os dos meus filhos pra o bem. Lamentável.

Pedro | 18/11/2013 - às 16:36:12
Se não bastasse tanta violência em nossa Barbalha, assassinatos,sequestro,assaltos,trafico na zona rural,teve um atentado a bala no conjunto nossa senhora de fatiam,na madrugada do sábado para o domingo,na rua João francisco Sampaio,uma casa teve seu portão metralhado por meliantes,segundo falatório de rua por conta de boca de fumo,pessoas de outro estado estaria morando na citada rua,e teve teve seu portão metralhado, se tivéssemos uma policia que trabalhasse em harmonia com a comunidade, esse tipo de acontecimento seria facilmente coibido,e segundo pessoas da rua a casa que teve o atentado é de uma pessoa que faz parte do judiciário,e pra piorar mais ainda o quadro a casa fica bem próxima do prédio da promotoria publica,uma afronta para a policia,infelizmente estamos diante de um quadro de insegurança publica,é a falência das policias,perdendo de vez a guerra para os traficantes.

jose ricardo | 17/11/2013 - às 07:25:26
olha o que penso sobre essa noticia ta certo tem que arrumar outro tutor e ele tem que permanecer preso e cumprir toda a pena porque dependendo de quanto tempo ele pegar e sua idade ele sairá de lá idoso e nao fará nada mais com niguem,mas como sabemos que estamos no brasil isso nao ocorerá essas leis nossa é uma vergonha que pena vamos lutar para mudar essas leis antiquada pois já vivemos no mundo novo


Comente esta noticia*:

Nome:

E-mail:

(Obrigatório, mas não será divulgado)

Comentário:

 

*O seu comentário passará por uma aprovação antes de ir ao ar.

Veja Também:

Escolha a categoria desejada.

PUBLICIDADE

Rádio Cetama 2008 - Todos os Direitos Reservados

Página Inicial | Fale com a Redação | Anuncie | Mais sobre a Rádio